Busca
  Milão – Outono/Inverno 2009-2010

 

Ana Carolina Acom *

Selecionei o que, em minha opinião, se destacou bastante nos desfiles da moda italiana. (Clique nas fotos para ampliá-las.)

A semana de moda de Milão possui uma vasta tradição e marcas consagradas. Muitas vezes, suas estampas, cores e formas são bastante requisitadas pelas consumidoras brasileiras, que são fiéis a algumas marcas. Contudo, a moda italiana não pode mais ser reduzida à definição de exagero e sensualidade, e as brasileiras também não se enquadram, exclusivamente, no clichê de ousadas e coloridas. Assim como a moda, cada vez mais, está vinculada ao momento, o consumidor também vem buscando a construção de sua identidade através da experiência e do guarda-roupa.

Dessa forma, observe a coleção da Prada, marca que possui milhares de seguidoras pelo mundo. O desfile foi de uma sobriedade nunca antes vista: maquiagem e iluminação sombria e fantasmagórica. As roupas foram compostas em tecidos tradicionais como brocados, desenhos em veludo e tweeds.

A Marni apresentou um dos desfiles mais lindos de toda a temporada de inverno. Com mistura de texturas e de estampas invernosas, a coleção tomou uma forma belíssima, destacando-se ainda mais na escolha dos acessórios, como as meias desenhadas, sapatos, óculos e colares.

Os leopardos em preto e branco apareceram muito em Milão, principalmente nas coleções da Blumarine e Dolce & Gabbana. Esta última usou bastante do preto e branco em seus trajes, tendência que vem acompanhada, algumas vezes, do vermelho coral (já citado nos desfiles e NY). Veja este tom no desfile da Fendi, que também fez uso de veludo molhado, assim como a Prada.

A coleção da Moschino apresentou todas as tendências que o mundo da moda vem descrevendo para o inverno 2010: flores, vermelho agregado ao preto e muito xadrez pied-de-poule. Os trajes e a produção estão muito bonitos, e as formas e cores em grande harmonia.

Para encerrar, comento sobre a D&G, que estampou, em seus vestidos de noite, antigos programas de óperas como “La Traviata” e “Tristão e Isolda”. As formas abaloadas dos vestidos, sobretudo nos curtinhos, ficaram muito bonitas e com um ar bastante contemporâneo.

*Ana Carolina Acom é graduada em filosofia pela UFRGS e especialista em Moda, Criatividade e Inovação pelo SENAC – RS. Atua como pesquisadora e consultora de moda e semiótica das vestimentas. Possui artigos publicados em todo país, e é responsável pela consulta de estilo da marca fragmentos. Além disso, é chapeleira nas horas vagas, criando para a marca As Carolinas.

Fotos: Reprodução


Copyright © 2006 - 2013 - modamanifesto
Site melhor visualizado no Mozilla Firefox e no Google Chrome.