Busca
  Semana de moda de Londres - Inverno 2011 - 2012


Ana Carolina Acom *

Meus destaques selecionados da semana londrina trazem os grandes criativos que figuram sempre entre meus escolhidos. Os desfiles em Londres sempre possuem sua cota de estilo conceitual artístico, mas os nomes que destaco nunca variam muito.

Começo pela marca da Queen: Vivienne Westwood Red Label. Atenção especial para o make-up que me conquistou com esse rosto dourado, como se fosse papel alumínio. Todas as peças são muito bacanas e a cartela de cores perfeita para um inverno nada monótono. Vestidos e casacos bastante interessantes que se mesclam em uma produção de moda, que é sempre de tirar o chapéu.

Falando em produção, uma marca que sempre merece destaque a cada desfile, criando histórias e temas divertidos é a Topshop. Dessa vez, à base de muita pele, gravuras divertidas e cabelo como orelhas de cachorro, trouxe uma coleção “super dálmata”.

A seguir passo para dois gênios da atualidade que eu admiro muito. O primeiro é Charles Anastase: a cada coleção novos modelos surpreendentes que parecem carregados de histórias e belas informações. Nessa temporada ele trouxe camisolas e casacos que lembram o século XVIII contrastando com modernas botas super-longas, e uma estampa de pônei em vestidos vermelhos de contos de fada. O outro estilista genial, que não poderia deixar de estar por aqui, é Giles: roupas em pele e “cabelos”, que me lembraram muito Margiela em momentos áureos. Além disso, o casaco em couro minimalista merece atenção, pois é a peça e o formato chaves deste inverno.

Julien Macdonald, que costuma ser o costureiro de patricinhas e grandes celebridades, veio com uma aura completamente oposta do que estávamos acostumados. Ele apresentou um lindo e soturno desfile de musas góticas em cores escuras, rendas e belas camisolas de princesas enfeitiçadas. Sem dúvidas, um dos mais belos desfiles da temporada.

Em matéria de alfaiataria comportada, mas com casacos bastante interessantes vem a clássica Burberry Prorsum, explorando lã, peles, texturas e muitas cores para o inverno 2012.

Meadham Kirchhoff é o meu bizarro estilista favorito, e sempre o apresento como destaque. Mais uma vez ele faz uma salada entre góticas, pastoras e mulheres: tudo muito louco e tudo muito interessante ao mesmo tempo. Não perca o detalhe dos grotescos cabelos bicolores contrastando com os looks preto e branco e os lábios carmim.

Encerro com Temperley London e seus vestidos de festa bastante diferenciados e com a marca Paul Smith, que merece atenção especial. Se você achava que ao incorporar peças do guarda-roupa masculino a referência era sempre Annie Hall e os sapatos Oxford, o desfile de Paul Smith foi muito além disso. A produção impecável trouxe belas e desgrenhadas moças vestidas à maneira dos rapazes dos mais diferentes estilos. Foi quase um daqueles filmes onde os cérebros trocam de lugar e a roupa masculina cai de forma curiosa e bastante sexy no corpo feminino.

*Ana Carolina Acom é graduada em filosofia pela UFRGS e especialista em Moda, Criatividade e Inovação pelo SENAC–RS. Atua como pesquisadora e consultora de moda e semiótica das vestimentas, através de palestras, produções e desenvolvimento de figurino. Possui artigos publicados em todo país e atualmente reside em Montreal – Canadá, realizando pesquisas de tendências para marcas do Brasil, em que é responsável pela consultoria de moda e estilo. Além disso, integra o projeto “As Carolinas”, com atuações em diferentes setores da moda.

Fotos: Reprodução





Copyright © 2006 - 2013 - modamanifesto
Site melhor visualizado no Mozilla Firefox e no Google Chrome.